Nossa História

Santa TeresaCarmelo de Trindade – GO

“Certo dia, depois da comunhão, Sua Majestade me ordenou expressamente que me dedicasse a esse empreendimento com todas as minhas forças, prometendo-me que o mosteiro não deixaria de ser feito e dizendo que ali seria muito bem servido. Disse-me que devia ser dedicado a São José; esse Santo glorioso nos guardaria uma porta, e Nossa Senhora, a outra; Cristo andaria ao nosso lado, e a casa seria uma estrela da qual sairia um grande resplendor.”

(Santa Teresa – Caminho de Perfeição)

  • Inspiração
  • 2003 – Primeira visiita do grupo fundador à cidade de Trindade
  • 2004 – Missa de apresentação do projeto para Arquidiocese de Goiânia
  • 15/10/2005 – Pedra Fundamental
  • 2006 – Retiro em preparação para Fundação
  • 01/05/2006 – Fundação
  • Casa Provisória
  • Primeiros nove meses da comunidade
  • Construção do Carmelo
  • Triênio fevereiro 2007/2010 Ereção Canônica
  • 07/06/2009 – Inauguração do Carmelo
  • Triênio – fevereiro 2010 / 2013
  • Triênio – fevereiro 2013 / 2016

“Eu tinha a impressão que daria mil vidas para salvar uma só das muitas que ali se perdiam.

Decidi-me então a fazer o pouco que posso: seguir os conselhos evangélicos com  toda a perfeição.

Assim ocupadas todas em orar pelos que são defensores da Igreja, pregadores e letrados que a sustentam, ajudaríamos no que pudéssemos a este Senhor meu.

Ó irmãs minhas em Cristo! Ajudai-me a suplicar isso ao Senhor, pois foi com esse fim que Ele vos reuniu aqui. Essa é a vossa vocação.”

(Santa Teresa – Caminho de Perfeição)

 

ComunidadeDo coração do Pai Eterno nasce a comunidade do Carmelo da Santíssima Trindade e da Imaculada Conceição.

No dia 12 de abril de 1999, Dom Antônio Ribeiro de Oliveira visita o Carmelo São José de Passos – MG – e coloca no coração das irmãs o desejo de um Carmelo na Arquidiocese de Goiânia.

Testemunhos

Quando Dom Antonio Ribeiro, meu irmão, era Arcebispo de Goiânia, ele tinha um ideal de construir um Carmelo na Arquidiocese, mas só deu os primeiros passos em abril de 1999, numa visita ao Carmelo de Passos – MG, onde fui uma das fundadoras. Conversando com a comunidade, expressou o seu desejo de fundar o Carmelo na Arquidiocese de Goiânia e pediu orações das Irmãs para conseguir seu ideal. Foi nessa ocasião que tomamos conhecimento do seu desejo. Dom Antonio, então, pediu à Madre Auxiliadora para ver a possibilidade para que eu participasse de seu Jubileu de Ouro, que seria celebrado no dia 04 de julho do mesmo ano, na Festa do Divino Pai Eterno. Se assim acontecesse, Dom Antonio disse que já escolheria um terreno para a fundação e assim aconteceu: recebi a licença para participar desse momento de ação de graças junto a meu irmão. No dia 03 de julho, eu, Dom Antonio, Pe. Vicente André (Reitor do Santuário Divino Pai Eterno) e Pe. Fábio Bento da Costa (Provincial dos Redentoristas) percorremos a cidade de Trindade olhando alguns terrenos. Nesse dia, pensando num terreno que poderia dar certo, Pe. Vicente André já o batizou: “Carmelo da Santíssima Trindade”. Logo depois, no meu coração, enquanto estava na Vila São Bento Cottolengo, contemplando a imagem de Nossa Senhora, veio-me o nome da Imaculada Conceição. E, assim, pensei o nome do novo Carmelo: “Carmelo da Santíssima Trindade e da Imaculada Conceição”.

Ir. Teresinha do Menino Jesus e da Santa Face.

***********************************

Dom Antonio e Ir. Teresinha

Dom Antonio e Ir. Teresinha

Um pouco de História

Como padre e como bispo, sempre me interessei pela vida contemplativa. Além disso, Deus foi tão generoso que chamou minha irmã Teresinha para o Carmelo. Devido aos muitos trabalhos que sempre tive, poucas vezes fui visitá-la. Mas o apreço pela vida contemplativa só foi crescendo. Quando bispo em Ipameri, abrimos uma casa de oração, em Goiandira, para as Irmãs Franciscanas de Allegany, que têm um ramo de contemplação, por um período curto. Foi uma iniciativa abençoada, mas que durou poucos anos. Devido ao pequeno número das Irmãs e a muitas obras apostólicas delas, não foi possível continuar.

Já, como Arcebispo de Goiânia, ao pregar um retiro para as Carmelitas de Passos, veio-me de novo a ideia e a possibilidade de abrir um Carmelo na Arquidiocese. Mas a ideia ainda não estava madura. Mais tarde, sendo minha Ir. Teresinha a coordenadora de um conjunto de Carmelos (Associação São José), trocamos ideias sobre essa possibilidade. A semente parecia estar germinando. Com o passar do tempo, pedi a ela que me ajudasse a fundar um Carmelo na Arquidiocese. E marcamos uma data para que ela viesse a Goiânia para escolhermos o local. Veio. E nós olhamos um terreno na Arquidiocese, junto ao Seminário Santa Cruz. Pensei que lá haveria a possibilidade de um capelão, para a Missa diária. Mas, como os padres do seminário, na época, eram poucos, veio-me o pensamento de optar por Trindade.

Telefonei ao Reitor do Santuário. Naquela ocasião era o Pe. Vicente André. Ele se entusiasmou pelo assunto. Fui com Ir. Teresinha a Trindade. Lá, o Pe. Vicente nos mostrou dois terrenos. Um, fora da cidade que precisaríamos comprar, o outro, na cidade, que o prefeito poderia doar. Não os achei convenientes. O primeiro, muito fora, e o outro pequeno e acidentado. Fomos a seguir à Vila São Cottolengo para tomar um lanche. Irmã Marilsa nos acolheu muito bem, manifestou também um grande entusiasmo pela vinda do Carmelo. Foi aí que me veio à mente a possibilidade de construir o Carmelo, em área da Igreja, desmembrando uma área de 10.000m² do terreno do Cottolengo. O terreno todo da Vila já é da Igreja, cedido em comodato, às necessidades da Vila. Pedi, então, à Madre Marilsa que nos desse a área necessária para o Carmelo e ela concordou imediatamente. Fomos ver o local e achamos oportuno tirar a área, na extremidade do terreno para, em nada, prejudicar o “Cottolengo” e assim se fez.

Daí em diante, caberia a Madre Teresinha providenciar as Irmãs, e a Arquidiocese ficou responsável pela construção do prédio. Comecei uma pequena campanha para a construção e abri no Banco uma conta para esse fim. Sonhava que seria muito fácil. O Padre Provincial Redentorista, Pe. Fábio Bento da Costa, acolheu a ideia com alegria. Estávamos renovando o convênio entre a Arquidiocese e a Província Redentorista para a direção do Santuário e da Paróquia Divino Pai Eterno. Colocamos uma cláusula em que o Santuário seria responsável pela conservação do Carmelo e manutenção das Irmãs, naquilo que fosse necessário.

Estava chegando o momento em que, pela idade, eu deveria renunciar ao pastoreio da Arquidiocese. Numa conversa com o Sr. Núncio Apostólico, ele me disse que não deixasse dívidas. Assim, não tive como começar a construção. Avisei a Madre Teresinha. Ela já tinha conseguido a adesão de algumas Irmãs para a fundação. Com espírito de fé, acolhemos a realidade, esperando a hora de Deus.

Quando Dom Washington assumiu o pastoreio da arquidiocese, Irmã Teresinha escreveu a ele, perguntando se desejaria a fundação. Ele acolheu a ideia e encarregou o Pe. Éverson de Faria Melo, então Reitor do Santuário, a levar o assunto à frente.

Pe. Éverson insistiu para que as Irmãs viessem para uma casa provisória e que, assim, seria mais fácil levantar os recursos. O Sr. Arcebispo lançou a pedra fundamental da construção. Vieram algumas Irmãs de Passos para essa solenidade. E, aí, juntamente com o Pe. Eduardo Luiz Rezende, C.Ss.R., foi sugerido uma planta para o Carmelo. Uma anterior não satisfizera às finalidades da obra. Lentamente o projeto andou. Parecia até que não ia adiante. O Reitor do Santuário foi mudado e veio o Pe. Robson de Oliveira Pereira para a missão. Um fato interessante: no dia em que faleceu D.ª Nilda, que era uma das mais empenhadas na fundação, dois Padres Redentoristas vão a Passos e animam a comunidade carmelitana para se preparar para a vinda para Trindade.

A seguir, com a aprovação de Dom Washington, as Irmãs aceitam vir para uma casa provisória. A senhora D.ª Valdivina Campos ofereceu gratuitamente uma casa grande, vizinha da Matriz do Divino Pai Eterno, para essa finalidade. As Irmãs vieram e foram acolhidas pelo Sr. Arcebispo, na Igreja Matriz (o chamado “Santuário velho”) em uma santa Missa. Vieram Irmãs de vários Carmelos para esse dia festivo. Estava aberto o Carmelo da Santíssima Trindade e da Imaculada Conceição de Trindade, abençoada missão contemplativa na Arquidiocese de Goiânia.  A presença da comunidade fundadora, oito Irmã Professas e duas noviças, se instalou na residência provisória. Ali permaneceram por mais de três anos. Foi eleita a primeira Priora, Madre Marinalva.

Pe. Robson deu continuidade à construção. Aqui houve outro fato interessante, coisas da Providência. As obras continuavam lentas. Um dia, Pe. Robson procura as Irmãs e lhes diz que poderiam se preparar para a mudança porque um benfeitor assumira arcar com todas as despesas da construção. Quem foi esse benfeitor? Eu suponho que seja…, mas não posso afirmar com certeza. No dia determinado pelo Pe. Robson, com aprovação do Sr. Arcebispo e da Madre Priora, em uma solene Missa presidida por Dom Washington, com a participação de vários sacerdotes, inaugurou-se o Carmelo, que foi abençoado por Dom Washington.

E aí está o Carmelo, ao lado da Vila São Cottolengo. São as bênçãos do Divino Pai Eterno, no seu Santuário, o nosso Carmelo. Já são anos de bênçãos para a Arquidiocese, graças só conhecidas do coração de Deus.

Agora, já consolidada a fundação, chegou a hora de pedirmos a Deus muitas e santas vocações para o Carmelo e agradecer a Deus toda a chuva de graças que tem irrigado a Arquidiocese, especialmente o nosso clero.

Glória seja ao Pai, glória seja ao Filho, glória seja ao Espírito Santo, seu Amor também. Ele é um só Deus, em Pessoas três, agora e sempre e sempre. Amém.

Capela do Carmelo de PassosDom Antonio Ribeiro de Oliveira.

Em 19 de abril de 2002, a Associação São José, em Assembleia em Brasília – DF, visita o Santuário do Divino Pai Eterno.

Em 2002, a Arquidiocese, em acordo com a Vila São Bento Cottolengo, assina o contrato do terreno para empréstimo de uso ou comodato para a construção do Carmelo.

Houve um primeiro projeto trabalhado por uma comissão. Porém, com a renúncia do Arcebispo, ela foi temporariamente interrompida até a posse do novo Arcebispo, Dom Washington Cruz, CP, nomeado pelo Papa João Paulo II em 08 de maio de 2002.

 

No dia 14 de julho de 2002, Dom Washington Cruz toma posse na Arquidiocese de Goiânia.

A partir de então, o Arcebispo acolhe o projeto do Carmelo e dá continuidade aos trabalhos interrompidos, nomeando Pe. Éverson, C.Ss.R., à frente da comissão.

Artigo com foto das Irmãs

Entre 8 a 11 de julho de 2003, Madre Teresinha do Menino Jesus e da Santa Face e quatro Irmãs visitam Trindade – GO – para verem o segundo projeto da construção.

Estivemos pela primeira vez com Dom Washington Cruz. Na ocasião, ele nos acolheu com muita alegria em sua casa.

 

“Tudo é Graça”

Dia 01 de outubro de 2004

Missa em Louvor a Santa Teresinha do Menino Jesus e Lançamento da construção do Carmelo da Santíssima Trindade e da Imaculada Conceição na Catedral Metropolitana de Goiânia – GO

1

15 de outubro de 2005

Solenidade Santa Teresa de Ávila

Lançamento da Pedra Fundamental

Às 10 horas, a cerimônia foi iniciada. Estavam presentes nosso Arcebispo Dom Washington Cruz, Dom Antonio Ribeiro de Oliveira, nosso irmão carmelita Frei Wilson, que foi delegado por Frei Afonso, nosso provincial, Pe. Robson de Oliveira, Pe. Eduardo, Pe. Éverson, vários Padres, seminaristas e muitos amigos.

Retiro em preparação para fundação - comunidade (12)Retiro e convívio Fraterno em preparação para a Fundação

De 26 de março a 03 de abril de 2006

Recanto Betânia

Casa de nossos amigos e benfeitores: José Lázaro e Jussara

Chegando ao Recanto, todas ficaram deslumbradas com a beleza do lugar.

O Sr. José Lázaro e Jussara nos receberam com tanta bondade que é impossível expressar em palavras o que deles recebemos. Deixaram a casa bem preparada e provida de tudo. O lugar é belíssimo e nos convida a rezar.

Demos início ao retiro, tendo em vista um melhor aprofundamento junto ao Senhor, para darmos os primeiros passos, iluminadas pela sua luz.

“Sois vós, Senhor, vós somente, que fizeste o céu dos céus e todo o exército, a terra e tudo o que ela contém, o mar e tudo o que nele se encerra; sois vós que dais a vida a todos os seres, e o exército dos céus vos adora. Vós, Senhor Deus fostes quem escolheste Abrão na Caldéia,  quem lhe deu o nome de Abraão. Encontrastes nele um coração fiel, e com ele firmaste uma aliança, prometendo dar à sua posteridade a terra dos caneaneus, dos hiteus, dos amorreus, dos ferezeus, dos jebuseus, e dos gergeseus, e cumpristes a vossa palavra, porque sois justo.”  ( Neemias 9,6s)

3Pe. Luiz Gonzaga Lemos, celebrou para nós na abertura do retiro“Tudo nos fala de Deus”
“A casa proporciona grande facilidade para que vivam em paz as que quiserem fruir a sós de Cristo, seu Esposo. E isso é o que elas sempre devem querer: viver a sós apenas com Ele”.

(Santa Teresa – Vida 36, 29)

 

 

 

5Momentos de partilha:

Cada Irmã contou um pouco de sua história vocacional para a fundação do Carmelo de Trindade, de seus desejos, na expectativa da nova comunidade.

Também num clima fraterno de diálogo, fizemos a divisão dos trabalhos da nova casa e todas puderam expressar seus pensamentos vendo a possibilidade de assumirem os ofícios.

“A exemplo da Igreja primitiva, a vida comunitária proposta pela Regra do Carmelo e renovada por Santa Teresa exige que as irmãs, convocadas e reunidas como pequeno “Colégio de Cristo”, ajudem-se mutuamente no caminho de santidade, tendo como norma suprema o amor que o Mestre recomendou a seus discípulos e o manifestou, dando a vida por nós.” (Constituições – Artigo 87)

 

Retiro em preparação para fundação - Ir. Teresinha (9)Irmã Teresinha do Menino Jesus e da Santa Face

Entrou no Carmelo de Mogi das Cruzes – SP – em 1949, deixando esse Carmelo em 1951 para fundação do Carmelo de Passos – MG. Depois de 55 anos no Carmelo São José de Passos, veio para Trindade  ─ GO ─ onde esteve à frente de nossa comunidade.

“Seu sim a Deus é muito precioso para nós”

“Já sabeis que Deus está em toda parte. Pois claro está que, onde está o rei, está, como se diz, a corte, isto é, onde Deus está é o céu.” (Santa Teresa – Caminho de Perfeição 28,2)

 

13Irmã Maria do Carmo da Eucaristia

Entrou no Carmelo de Belo Horizonte em 1969, ajudou na fundação de Olinda ─ PE ─ Montes Claros e Sete Lagoas ─ MG ─ deixando este último para fazer parte do nosso Carmelo de Trindade.

Nossa gratidão pelo seu sim.

“Sem dúvida podeis crer que, onde está sua Majestade, está toda glória”. (Santa Teresa – Caminho de Perfeição 28,2)

Irmã Marinalva Maria do Coração Imaculado

Entrou no Carmelo de Tremembé em 1980, deixando seu Carmelo para nos ajudar a construir esse novo pombal da Virgem.

“Vede que Santo Agostinho falou que O procurou em muitos lugares e só veio a encontrá-Lo dentro de si mesmo”. (Santa Teresa – Caminho de Perfeição 28,2)

 

 

 

 

15Irmã Rita Maria da Santa Face

Entrou no Carmelo de Três Pontas em 1980.

Deixa seu Carmelo tão querido para construir esta nova comunidade.

“Pensais que importa pouco a uma alma dissipada entender essa verdade e ver que não precisa, para falar com seu Pai Eterno ou para regalar-se com Ele, ir ao céu nem falar em altos brados? Por mais baixo que fale, Ele está tão perto que a ouvirá.” (Santa Teresa – Caminho de Perfeição 28,2)

 

 

 

16Irmã Maria Teresa do Espírito Santo

Entrou no Carmelo de Santos – SP – em 1982. Em 2002, chega ao Carmelo de Passos – MG – na espera da fundação do Carmelo de Trindade.

“do mesmo modo, ela não precisa de asas para ir procura-Lo, bastando pôr-se em solidão e olhar para dentro de si, não estranhando a presença de tão bom hóspede.” (Santa Teresa – Caminho de Perfeição 28,2)

 

 

 

 

 

17Irmã Aparecida Helena da Imaculada Conceição

Entrou no Carmelo de Passos – MG – em 1992, deixando-o para fazer parte desta comunidade de Trindade.

“A alma deve, com grande humildade, falar-Lhe como a um pai, pedir-Lhe como a um pai, contar seus sofrimentos e pedir alívio para eles, compreendendo que não é digna de ser Sua filha.” (Santa Teresa – Caminho de Perfeição 28,2)

 

 

 

 

18Irmã Maria Rosineli da Eucaristia

Entrou no Carmelo de Passos – MG – em 1996. Também deixa sua comunidade tão querida para fazer parte deste novo Carmelo.

“Falo de considerar a nossa alma como um castelo todo de diamante ou de cristal muito claro onde há muitos aposentos, tal como no céu há muitas moradas. A bem da verdade, irmãs, não é outra coisa a alma do justo senão um paraíso onde Ele disse ter suas delícias.” (Santa Teresa – I Moradas 1,1)

 

 

 

19As noviças

Irmã Maria Lusdalva da Santíssima Trindade e Irmã Maria Angélica da Eucaristia

Entraram no Carmelo de Passos – MG – na perspectiva de fazerem parte do grupo fundador.

“Pelo que posso entender, a porta para entrar neste castelo é a oração e reflexão. (Santa Teresa – I Moradas 1,7)

“Em suma, irmãs minhas, concluo dizendo que não edifiquemos torres sem alicerces sólidos, porque o Senhor não olha tanto a grandeza das obras quanto o amor com que são realizados. E desde que façamos o que pudermos, Sua Majestade nos dará forças para fazê-lo cada dia mais e melhor.” (Santa Teresa – VII Moradas 4, 15)

“Sr. José Lázaro disse estar muito feliz porque o Carmelo de Trindade iniciou em sua casa. Deus não tem mistério, Ele é mistério. Assim em mistério Ele vai agindo. Assim fez vocês chegarem até aqui. Assim também na nova casa em Trindade, Ele vai mostrando. É bom ir descobrindo os dons de cada Irmã para formar a beleza da comunidade. Por isso ouvir sempre o que Deus tem a dizer. O Senhor fala no Evangelho de João: “Bem aventurados os que ouvem a Palavra de Deus e a põe em prática.” O que mais dizer? Vocês são os para-raios, em favor da Igreja e do mundo.” (Palavras do Sr. José Lázaro na despedida)

“Nossa eterna gratidão por tudo que recebemos.”

Foto da comunidade com Paulinho, Daniel (filho do casal José Lázaro e Jussara), Ronaldo, Letícia no colo da Ir. Teresinha e a esposa do Daniel.

Foto da comunidade com Paulinho, Daniel (filho do casal José Lázaro e Jussara), Ronaldo, Letícia no colo da Ir. Teresinha e a esposa do Daniel.

Retornando ao Carmelo de Passos – MG

No dia 06 de abril, tivemos a alegria e o privilégio da presença de nosso estimado Frei Patrício Sciadini, que pregou durante três dias para a comunidade de Trindade, apresentando-nos um programa de vida pessoal e comunitário:

Quando pensamos em Fundação, temos três pontos a meditar:

  • Vontade de Deus – esquecer inteiramente de mim mesmo para honra e glória do Senhor.
  • Vontade da Igreja – devemos caminhar com a Igreja.
  • Vontade da Ordem – somos enviadas pela Ordem.

 

26Ir. Teresa Margarida do Coração de Jesus

Entrou no Carmelo de Passos – MG – em 1992.

Após nosso retiro com Frei Patrício, pediu para fazer parte do grupo fundador.

“Pelo que me lembro, nunca deixei de fundar por temer sofrimentos, embora pelos caminhos, especialmente nos longos, sentisse muita contrariedade; mais ao começar a andar parecia ter pouca distância a percorrer, vendo a serviço de Quem o fazia e considerando que, na casa a ser fundada, se haveria de louvar o Senhor e abrigar o Santíssimo Sacramento” (Santa Teresa – Fundações 18,5).

 

Saímos do Carmelo de Passos no dia 30 de abril de 2006.

Comunidade do Carmelo São José – Passos Comunidade do Carmelo de Trindade

Protocolo para fundação: 06 de abril 2006

Fundação 01 de maio de 2006

2

Fundadoras:

Ir. Teresinha do Menino Jesus e da St. Face –  Carmelo de Passos – MG

Ir. Maria do Carmo – Carmelo Sete Lagoas – MG

Ir. Marinalva Maria do Coração Imaculado – Carmelo de Tremembé – SP

Ir. Rita Maria da Santa Face – Carmelo Três Pontas – MG

Irmã Maria Teresa do Espírito Santo – Carmelo de Santos – SP

Ir. Aparecida Helena da Imaculada Conceição – Carmelo de Passos – MG

Ir. Teresa Margarida do Coração de Jesus – Carmelo de Passos – MG

Ir. Maria Rosineli da Eucaristia – Carmelo de Passos – MG

Ir. Maria Lusdalva da Santíssima Trindade (noviça) –  Carmelo de Passos – MG

Ir. Maria Angélica da Eucaristia (noviça) – Carmelo de Passos – MG

3

MISSA DE FUNDAÇÃO DO CARMELO DA SANTÍSSIMA TRINDADE E DA IMACULADA CONCEIÇÃO. Igreja Matriz de Trindade

01 de maio de 2006 Às 15 horas 

Festa de São José Operário

Assim, tomei por advogado e senhor o glorioso São José, encomendando-me muito a ele. Não me lembro até hoje de ter-lhe suplicado algo que ele não tenha feito.” (Santa Teresa – Livro da Vida 6,6)

A celebração foi presidida por Dom Washington Cruz, arcebispo de Goiânia, concelebrada por Dom Antonio Ribeiro de Oliveira, Dom José Geraldo do Valle, Bispo da diocese de Guaxupé – MG – diocese onde se encontra o Carmelo de Passos – MG. Nessa oportunidade, Dom José, ao entregar o Carmelo para a Arquidiocese de Goiânia, disse: “Todo presente importante não se despacha pelo correio ou outros meios, leva-se pessoalmente, porque é de muito valor e neste momento estou aqui para entregar para o senhor Dom Washington e para Arquidiocese um grande presente: são as Irmãs queridas do meu coração que acabo de te entregar, para que o senhor cuide delas com muito carinho”. Frei Pierino, OCD, assistente da Associação São José, Pe. Fábio Bento, C.Ss.R., provincial dos Redentoristas, Pe. Robson de Oliveira, C.Ss.R., Pe. Éverson, C.Ss.R., e vários padres redentoristas e diocesanos.

Estavam também presentes a coordenadora da Associação, Irmã Maria José (Carmelo de Sete Lagoas – MG), Madre Maria Wilza do Carmelo de Passos – MG – mais duas irmãs do mesmo Carmelo, as irmãs do Carmelo de Três Pontas – MG – uma irmã do Carmelo de Santa Maria – RS – vários seminaristas redentoristas, beneditinos, a participação de muitos amigos e do povo de Trindade e de Goiânia.

No final da Santa Missa, saímos em procissão com o Santíssimo Sacramento para o nosso Carmelo provisório, onde Dom Washington deu a benção solene e encerrou Jesus no Sacrário.

“Até então estava muito contente, porque é para mim um grandíssimo consolo ver uma igreja a mais onde esteja o Santíssimo Sacramento.”

(Santa Teresa – Fundações 3,10)

Sentimos o carinho dos Padres e do povo que nos acolheu.

30

1Casa Provisória

Rua Padre Redentoristas, 23 – Centro – Trindade – GO

Valdivina Campos, proprietária da casa, amiga e benfeitora do Carmelo, inspirada pelo desejo de Nilda Campos, ofereceu sua casa gratuitamente para fazermos o Carmelo provisório.

Nilda Campos era uma leiga missionária, e seu coração todo Carmelita. Grande benfeitora e intercessora do Carmelo de Trindade.

8Nossa querida amiga Nilda Campos foi uma das grandes intercessoras junto de Deus para realização deste Carmelo. No mesmo dia de sua partida para a “Pátria Celeste” – 29 de agosto de 2005 – Pe. Robson ligou para Madre Teresinha no Carmelo de Passos – MG – para acertar detalhes da planta do Carmelo. No dia 30 de agosto de 2005, Pe. Robson, Pe. Eduardo e Irmão Alcísio estavam em Passos para ver os detalhes necessários para dar continuidade ao projeto, deixando agendado o lançamento da pedra fundamental para o dia 15 de outubro do mesmo ano.

Padres que celebraram conosco na casa provisória diariamente.

“O que eu vinha fazer no Carmelo, declarei-o aos pés de Jesus-Hóstia, no exame que antecedeu minha profissão: “Vim para salvar as almas e, sobretudo, rezar pelos sacerdotes” (Santa Teresinha MA).

Irmão José Alves, C.Ss.R. uma presença amiga,

Ser tua esposa, ó Jesus; ser carmelita; ser, pela minha união a Ti, a mãe das almas, deveria ser-me suficiente… mas não é … Sem dúvida, esses três privilégios formam minha vocação: carmelita, esposa e mãe. Todavia, sinto em mim outras vocações, a de Guerreiro, a de Sacerdote, a de Apóstolo, a de Doutor, a de Mártir, enfim, sinto a necessidade, o desejo de realizar, para Ti, Jesus, as mais heroicas obras… Sinto na minha alma a coragem de um cruzado, de um zuavo pontifício. Queria morrer num campo de batalha pela defesa da Igreja […]

Sinto em mim a vocação de Sacerdote. Com que amor, ó Jesus, levar-te-ia em minhas mãos quando, pela minha voz, descesses do Céu… Com que amor eu Te daria às almas!… Mas ai! embora desejando ser sacerdote, admiro e tenho inveja da humildade de são Francisco de Assis e sinto em mim a vocação de imitá-lo, recusando a sublime dignidade do Sacerdócio.

Ó Jesus! meu amor, minha vida… como conciliar esses contrastes? Como realizar os desejos da minha pobre alminha? […]

A Caridade deu-me a chave da minha vocação. Compreendi que se a Igreja tem um corpo, composto de diversos membros, o mais necessário, o mais nobre de todos não lhe falta. Compreendi que a Igreja tem um coração e que esse coração arde de amor. Compreendi que só o Amor leva os membros da Igreja a agir, que se o Amor viesse a extinguir-se os apóstolos não anunciariam mais o Evangelho, os mártires negar-se-iam a derramar o sangue… Compreendi que o Amor  abrangia todas as vocações, que o Amor era tudo, que abrangia todos os tempos e todos os lugares… numa palavra, que ele é Eterno! […]

Então, na minha alegria delirante, exclamei: Ó Jesus, meu Amor… enfim, encontrei minha vocação, é o Amor! […]

Sim, achei meu lugar na Igreja e esse lugar, meu Deus, fostes vós quem o destes a mim… no Coração da Igreja, minha Mãe, serei o Amor… serei tudo, portanto… desta forma, meu sonho será realizado!!! […] (TERESA do Menino Jesus e da Sagrada Face, 2001, p. 211-213).

Fonte: TERESA do Menino Jesus e da Sagrada face. Manuscrito B. In; ______. Obras Completas. São Paulo: Loyola, 2001. p. 204-218.

 

3Os nove primeiros meses da comunidade 02 de maio de 2006 a 18 de fevereiro de 2007.

Colocamo-nos nas mãos do Senhor, que realizará sua obra.

O Senhor cuidará de vós: “Fitai vosso esposo: Ele vos há de sustentar” (C 2,1).

“Se algo pudermos fazer junto a Deus, estando enclausuradas, lutemos por Ele” (C3,5).

“Não descrevo neste livro das fundações os grandes padecimentos passados pelos caminhos, com frio, com sol, com neve… Pelo que me lembro, nunca deixei de fundar por temer sofrimentos, embora pelos caminhos, especialmente nos longos, sentisse muita contrariedade; mas ao começar a andar parecia ter pouca distância a percorrer, vendo a serviço de Quem o fazia e considerando que, na casa a ser fundado, se haveria de louvar o Senhor e abrigar o Santíssimo Sacramento. É para mim um consolo especial ver mais uma igreja…” (F 18,4-5; 27,7; 27,21…).

Iniciando nossa vida neste novo pombal da Virgem apresentamos aqui o programa de vida de Nossa Madre Teresinha para a comunidade.

Em sua oração inspirada pelo Espírito Santo, escreve para a comunidade de Trindade.

JM + JT  Escrita durante um retiro no Carmelo São José em Três Pontas – MG:

“Como vejo o ideal a ser vivido no Carmelo da Santíssima Trindade e da Imaculada Conceição.”

1A ideia de um Carmelo em Trindade aconteceu por coincidência ou vontade de Deus, no ano em que a Santa Igreja dedicou-se ao Pai. Com grande surpresa de minha parte, o Senhor  me conduziu  a Trindade no dia da festa anual do Divino Pai Eterno, no Santuário a Ele dedicado. Lá foi revelado o desejo de um Carmelo, e lá com grande surpresa da minha parte ouvi o Reitor do Santuário, Padre Vivente André, proclamar: “Aqui será o Carmelo da Santíssima Trindade”. Dentro do meu coração, em silêncio, completei: “e da Imaculada Conceição”. Contemplando a imagem venerada no Santuário, Maria é ladeada pelo Pai, pelo Filho e por eles coroada; acima de sua cabeça desce o Espírito Santo em forma de pomba, imagem que me impressionou profundamente. Maria é mergulhada no mistério Trinitário, Ela que se deixou mover somente pelo Espírito Santo. Ela é a escolhida do Pai para ser Mãe do seu Filho, Mãe do Verbo feito Homem por obra do Espírito Santo. Para mim, Maria é o modelo acabado e perfeito da carmelita. Eleita como a Virgem da contemplação, Ela é Mãe e Virgem, Mãe de Deus e Mãe dos homens. Por meio de sua consagração total a Deus, a Carmelita, em sua oração e imolação silenciosa, deve gerar Cristo nas almas (nos homens).

Trindade: um Deus em três pessoas, Trindade na unidade, modelo da comunidade religiosa. É aí que a comunidade deve-se espelhar para viver essa unidade na diversidade das pessoas, ou seja, viver a vida em fraternidade. Em Nazaré, houve também a comunidade terrena, perfeita cópia da Trindade celeste: Jesus, Maria e José.  Não foi por acaso que, ao iniciarmos a Associação São José, surgiu o seguinte lema: “Que todos sejam um sob o olhar de Maria.” Esse lema foi inspirado na hora pelo Espírito Santo nessa imagem da Trindade com Maria.

Nesse sentido, descobri a perfeita vida que devemos buscar em nossas comunidades.

Como vivenciar essa comunidade?

  • Começar desde o início com o diálogo fraterno, em que possamos partilhar nosso ideal, nossas experiências no amor mútuo, no respeito e na ajuda fraterna;
  • Valorização dos diversos dons da pessoa;
  • Buscar o essencial;
  • Reciclagem da Santa Regra e Constituições (principalmente os sete primeiros capítulos) e as obras de nossos pais: Santa Teresa de Jesus, São João da Cruz e outros santos que viveram e se santificaram no Carmelo;
  • Todas as semanas fazer nossa revisão fraterna à luz do Evangelho e de nossa espiritualidade da vida fraterna;
  • Devemos ser na Igreja a asa da contemplação que aponta para o alto;
  • Fidelidade à oração num clima fraterno, silencioso e de solidão;
  • Na oração, no silêncio e na solidão povoada por Deus, encontramos força e equilíbrio para viver a alegria da vida em comunidade, lugar de festa, de comunhão, de perdão. Para tanto, devemos estar sempre abertas ao Espírito Santo, fiéis ao carisma e sempre atentas aos apelos do Espírito Santo.

Durante os noves primeiros meses, a comunidade esteve sob a direção de Nossa Madre Teresinha do Menino Jesus e da Santa Face. Foram momentos marcados pelo conhecimento de umas às outras, pela alegria fraterna, pelo carinho dos amigos de Trindade e de Goiânia, que foram nos cercando. É também importante sublinhar a presença dos padres redentoristas na incansável assistência espiritual e material. Tivemos a alegria de receber várias visitas que vinham para nos motivar a viver bem nossa vocação.

 

Nossos primeiros recreios.

A Recreação

“Características: alegria, simplicidade, para edificar a comunidade e comunicar alegria. Motivos: edificar a comunidade e partilhar a alegria do coração. Não pode haver amor onde não há exclusividade, não pode haver amor onde não há momentos fortes de encontro. Se não há oração dificilmente haverá amor a Deus e dificilmente haverá comunidade onde não há encontro de irmãos” (Antonio de Jesus Benéitez – A Recreação Teresiana).

Durante a Festa de Trindade, a primeira que participamos, recebemos a visita do Núncio Apostólico do Brasil, Dom Lorenzo, juntamente com Dom Washington, Pe. Robson de Oliveira e Pe. Éverson de Faria.

A convite de nosso Arcebispo, Dom Washington Cruz, participamos do encerramento da Festa do Divino Pai Eterno.

A celebração da Eucaristia é o centro da vida da Igreja. A celebração eucarística cria continuamente a comunidade de Cristo e une os homens entre si e com Deus.

A celebração da Eucaristia é o centro da vida da Igreja. A celebração eucarística cria continuamente a comunidade de Cristo e une os homens entre si e com Deus.

Retiro – Nosso primeiro retiro pregado por Frei Afonso, nosso Provincial – 19 a 29 de novembro de 2006.

Retiro – tempo para estarmos despertos, procurar o Senhor, banir a mediocridade, experimentar Deus para amar mais e servir melhor, lembrando-nos sempre que a iniciativa nesta graça parte de Deus: “Ele está como o sol sobre as almas”(Ch 3,47 S. João da Cruz).

Na oportunidade, a Igreja recebeu o título de Basílica. Frei Afonso nos levou para recebermos as indulgências no dia 26, quando celebramos a Solenidade de Cristo Rei do Universo.

4Agradecemos a Deus:

  • pelas pessoas que colaboraram ativamente em cada detalhe, dedicando tempo, vivendo preocupações, cansaços, mas também a alegria por cada ato conquistado. Sabemos que tudo exigiu muita dedicação e que cada gesto expressou o quanto Deus nos ama;
  • pelas pessoas que rezaram para que essa obra fosse realizada;
  • pelas pessoas que colaboraram com seus donativos, tornando possível a realização desta obra;
  • pelas pessoas que trabalharam oferecendo seu esforço físico, desde a terraplanagem até as últimas instalações;
  • pelas pessoas que ajudaram e cujos nomes nem chegaram ao nosso conhecimento;

Eterna GRATIDÃO!

Agosto de 2006

Iniciou-se a construção do Carmelo Pe. Robson de Oliveira Pereira e Pe. Antônio Borges (Redentoristas) responsáveis pela obra.

Na ocasião do nosso retiro em novembro de 2006, Frei Afonso, nosso provincial, esteve juntamente com Madre Teresinha, Ir. Aparecida Helena e Pe. Robson no terreno da construção do Carmelo, momento de muita alegria aos nossos corações, vendo o início desta construção.

No dia 11 de abril de 2007, Madre Marinalva e o conselho da comunidade visitam a construção. As paredes sobem depressa!

No dia 28 de abril de 2007, a comunidade visita a construção.

 

No dia 06 de agosto de 2007, nossa Madre levou a imagem de São José para construção, entregando tudo aos seus cuidados.

 

Dia 02 de outubro de 2007, a laje está pronta.

Dia 20 de novembro de 2007, as ferragens do telhado estão colocadas.

Dia 05 de maio de 2008,  as telhas já foram colocadas.

Dia 27 de julho de 2008

Dia 05 de agosto de 2008

Dia 12 de agosto de 2008

No dia 23 de agosto de 2008, a comunidade visita novamente a construção.

Mês de outubro de 2008

Mês de novembro de 2008, foram colocadas as ferragens na capela.

Ano de 2009 Janeiro e Fevereiro

Março de 2009

30 de abril de 2009

Mês de Maio 2009 – Mês de Maria e São José Operário

No dia 14 de maio de 2009, o artista Elismar colocou a imagem do Divino Pai Eterno no centro do claustro e dá os últimos acabamentos.

No dia 03 de junho de 2009, a imagem de Nossa Senhora Imaculada Conceição e o sino são levados até a torre.

Dia 04 de junho de 2009, vitrais e imagens da capela.

Dia 06 de junho de 2009 – Véspera da Inauguração

 

Ereção Canônica 18 de novembro de 2006.

Eleição para Priora 19 de Fevereiro de 2007.1

Priora – Ir. Marinalva Maria

1º- Conselheira – Ir. Teresinha do M. Jesus

2º- Conselheira – Ir. Maria do Carmo

3º- Conselheira – Ir. Rita Maria

2

14 a 16 de julho de 2007 – Visita do Definidor para América Latina, Frei Nicolás

 

Grupo da OCDS – 2008 – Grupo Ssma. Trindade e Santa Teresinha3

Inauguração Carmelo da Ssma. Trindade  e da Imaculada Conceição – 07 junho de 2009

Visita Cardeal Zanon Grocholewski – Prefeito da Sagrada Congregação para a Educação Católica – 06 de setembro 2009

 

inauguracaoInauguração Carmelo da Ssma. Trindade  e da Imaculada Conceição – 07 junho de 2009

“Infinita é a bondade do Senhor para conosco! Insondáveis são os seus caminhos, sua misericórdia é eterna!” 

Como descrever com veracidade tudo o que recebemos de Deus.

Após três anos, um mês e sete dias de espera, eis que surge o grande dia, radiante como a aurora! Dia belo! Inesquecível!

A preparação foi animada, a expectativa foi grande! Nosso coração batia forte, suspirava continuamente pelo dia sete. Oh, dia sete de junho de 2009, jamais serás esquecido, nosso coração é e será eternamente grato a Ti!

Uma semana antes da inauguração, começamos a receber alguns amigos para nos ajudar. Nas vésperas, começavam a chegar os amigos para festejar e agradecer a Deus conosco. Cada um que chegava era para nós motivo de festa, mesmo não sendo possível sentar para conversar e matar a saudade.

 

O povo de Trindade é um povo bom, acolhedor, generoso e disponível: muitas donas de casa renunciaram a seus afazeres para se colocarem à disposição das Irmãs. Também se prontificaram para receber nossos amigos e nossas irmãs em suas casas, já que o Padre Robson pediu para entrarmos para o Carmelo somente com a entrega oficial da inauguração.

No dia sete, de manhazinha, tivemos uma missa celebrada pelo Pe. Bráulio, C.Ss.R. A finalidade dessa celebração foi benzer o altar, os vasos sagrados, as alfaias, o sino e as imagens, para preparar a grande celebração da tarde, já que não seria possível a sagração da capela naquele dia. Todas as Irmãs e alguns amigos que estavam conosco participaram. A celebração foi belíssima! Embora o Pe. Bráulio tivesse dito ser uma celebração rápida e simples, ela durou mais ou menos duas horas.

Saindo dali, voltamos para a casa provisória, onde encontramos a casa repleta de amigos e uma bela mesa, preparada com carinho por nossas amigas de Trindade. Houve, no dia, muita festa, muito barulho!

Após algumas horas, nos dirigimos ao salão paroquial para o almoço, preparado por nossa amiga Fátima Brandão e sua equipe.

Logo após o almoço, voltamos à casa provisória onde continuamos a festa de um feliz e agradável encontro: “Vede como é belo e agradável os irmãos viverem juntos bem unidos”.

Após alguns minutos, lá estávamos nos despedindo de nosso carmelinho simpático e aconchegante, coração de mãe, sempre tinha lugar para mais um.

Estava combinado do ônibus do santuário nos pegar às 14 horas, mas os amigos bem antes encostaram seus carros para levar-nos até o Carmelo. Eles estavam tão felizes que pareciam levar consigo as pedras mais preciosas do mundo!

Nossa chegada ao Carmelo foi emocionante, muita gente já estava reunida para o grande momento da celebração. Eram muitos sacerdotes: Dom Washington e Dom Antonio Ribeiro, nossos irmãos carmelitas Frei Pierino e Frei Deneval, um grande número de padres redentoristas, alguns padres diocesanos, beneditinos, estigmatinos, dominicanos e outros.

Nosso arcebispo, Dom Washington, estava muito alegre. E o que dizer do Pe. Robson e Pe. Eduardo? Eles não mediram sacrifícios para que estivesse tudo pronto na Solenidade da Santíssima Trindade.

Falar no nome dos dois é fácil porque foram os responsáveis, mas falar no nome dos que ajudaram financeiramente é impossível, uma multidão que só Deus conhece. Cabe a nós rezarmos e agradecermos, procurando viver na fidelidade com grande amor e zelo o nosso carisma Teresiano em terras goianas, mostrando a todo esse povo que nos procura que vale a pena ser de Deus, que Ele é misericórdia infinita e nos ama com Amor eterno.

Após a Santa Missa, o Sr. Arcebispo, Dom Washington, com os padres celebrantes, os diáconos, os acólitos e as Irmãs entraram na clausura para a benção especial do mosteiro, enquanto o coral e todo o povo cantavam na capela. Tudo aconteceu de uma maneira solene, refletindo a mística do Carmelo.

Ao chegarmos ao centro do claustro, Dom Washington fez uma oração de entrega e gratidão e mais uma vez abençoou a todos. Passando pelos corredores, foi abençoando tudo, encerrando a celebração com a benção solene no coro.

Após a celebração, todos puderam entrar na clausura, ficando até 20 horas

As Irmãs, cansadas, mas felizes, não viam o momento de parar para se encontrar. Isso aconteceu ao nos ajeitarmos para uma sopa no refeitório, preparada com carinho pelos amigos. Frei Pierino também estava conosco. Como tudo estava ainda fora do lugar, foi uma festa buscar cada coisa e improvisar outras para esse momento a sós. Após o jantar, veio o merecido descanso. Como as Irmãs de Passos já haviam partido, exceto a Irmã Elizabeth, fomos nos organizando nas celas, que por sinal ficaram todas ocupadas.

Tudo foi construído com carinho. O Carmelo da Santíssima Trindade agora oferece um ambiente muito bom, tranquilo, silencioso e convidativo à oração. Estávamos muito ansiosas por este espaço de solidão e contemplação.

 

1Segundo Triênio Eleição para Priora

19 de Fevereiro de 2010. 

Priora – Ir. Maria Rosineli

1º- Conselheira – Ir. Rita Maria

2º- Conselheira – Ir. Aparecida Helena

3º- Conselheira – Ir. Teresinha do M. Jesus

 

 

Primeira Profissão Solene

Irmã Maria Angélica da Eucaristia – 25 de março de 2010.

TerceirFoto - Triênio fevereiro 2013 a fevereiro 2016o Triênio Eleição para Priora – 19 de Fevereiro de 2013.

Priora – Ir. Rita Maria

1º- Conselheira – Ir. Marinalva Maria

2º- Conselheira – Ir. Aparecida Helena

3º- Conselheira – Ir. Maria Rosineli

Profissão Temporária

Comunidade em 2013

4Somos nove Irmãs de votos Solenes e uma de votos Temporários

Ir. Teresinha do Menino Jesus e da St. Face

Ir. Maria do Carmo

Ir. Marinalva Maria do Coração Imaculado

Ir. Rita Maria da Santa Face

Irmã Maria Teresa do Espírito Santo

Ir. Aparecida Helena da Imaculada Conceição

Ir. Teresa Margarida do Coração de Jesus

Ir. Maria Rosineli da Eucaristia

Ir. Maria Angélica da Eucaristia

Ir. Maria da Santíssima Trindade – Professa Temporária

Nossas atividades para ajuda na manutenção são artesanais: pinturas de imagens, terços, velas.

Também nos ajudam na manutenção os Padres Redentoristas com muita solicitude.