Sem categoria › 08/03/2016

CAMINHOS PARA SERMOS CONSTRUTORES DA PAZ – FREI Patrício Sciadini, ocd.

CAMINHOS PARA SERMOS CONSTRUTORES DA PAZ

FREI Patrício Sciadini, ocd.

 

Um tempo tinha alguma dúvida de que às vezes Jesus podia errar no conhecimento do ser humano e nos caminhos que ele apresentava para sermos “construtores da paz”, em todos os tempos e lugares do mundo. Hoje, com 70 anos nas costas e poucos anos na minha frente, tenho a certeza de que Jesus está certo e que ele conhece em profundidade o coração  inquieto do ser humano, que por causa do pecado, ama mais a guerra que a paz. Sente-se  instintivamente melhor com o ódio que com o amor. Que deseja ter mais e mais, sendo indiferente aos sofrimentos das pessoas que estão ao seu lado. No mundo, sacramento do amor de Deus que nos é dado viver neste momento da história, devemos fixar os nossos olhos em Jesus e viver com todo empenho os seus ensinamentos, se queremos ser construtores da paz. A vida é feita de dois ou três “NÃO” e de dois ou três “SIM”. É mediante estes sims e nãos que somos chamados a criarmos ao nosso redor um mundo novo e cheio de paz e de alegria. Ou criamos um mundo de ódio e de inimizade. A mim, a escolha.

No passado nos meus discursos, nas pregações, usava muitíssimo a palavra “NÓS”. Decidi abandonar a linguagem do “NÓS” e do “VÓS” e assumir a linguagem do “EU”. Não como caminho de egoísmo e de egocentrismo, mas como caminho de responsabilidade e de individualidade, que não devem ser confundidas com o INDIVUDUALISMO, que é sem dúvida o maior pecado e a raiz e o pecado original e de todos os outros pecados.

NÃO: a toda forma de agressão, seja com palavras, com atitudes, com pensamentos, obras e omissão. Não quero agredir ninguém nem com o olhar  e, mesmo agredido, quero responder com amor e só com amor.

NÃO: à mentira, ao mal, ao engano, as palavras  ambíguas. Este não é que me faz compreender que não posso, para me libertar  da cruz, me enganar  nem a mim mesmo nem a Deus, e nem aos outros, por nenhum motivo.

NÃO: a qualquer manipulação da consciência. Nunca  exigirei que  a minha liberdade seja maior  que a liberdade dos outros. Não impor, não dominar, não querer ser servido em nenhuma maneira e não exigir nenhum benefício.

SIM sempre ao perdão, ao amor incondicional, na pura gratuidade. “Se alguém  quer o teu manto dai a tua túnica, se te pede fazer um km  faz dois, dai gratuitamente como gratuitamente recebeste.”

SIM a lavar os pés a todos e sempre. Vim para servir e não para ser servido escolher voluntária e alegremente o último lugar, e sempre com o sorriso nos lábios.

SIM a caminhar juntos com os outros, a cooperar em tudo o que é bom e reto e santo. Ter consciência de que o reino de Deus não é problema de bebida e comida,  mas paz e alegria no Espírito Santo. Ensinar a todos o caminho da oração e da paz. “O meu falar seja sim, sim, e não, não”.   E saber que todo o resto vem do demônio e do mal.

Cada um pode escolher outras regras para ser construtores da paz  em si mesmo, na sua casa, no trabalho, na sociedade. Mas deixemos de falar “nós” e vós”, e comecemos a falar eu. Se tem paz  eu a construo e se não tem paz e há guerra, eu a crio.

Senhor, dai me a coragem de ser eu no teu amor no teu serviço ,

Construir a paz com tua palavra e seguindo os teus passos,

Aquela paz que nasce da cruz e leva a ressurreição e nos envia pelo

Mundo afora levando para todos a alegria e paz e dando a todos

Jesus, o fruto do Espírito Santo e fruto de Maria, nossa mãe.  Amém!

Tags:

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.